A briga pelos primeiros lugares ganha um importante capítulo

É estranho falar de uma briga pelo topo da Serie A, após tantos anos de total domínio. Mas desta vez, a Juventus não é a melhor; há um Milan que se mantém apesar dos altos e baixos de 2020. Mas a temporada é longa e certamente traiçoeira. A Atalanta vive dias intensos, pois sua bandeira se desprendeu do mastro.

Precisamente no dia mais bonito para a equipe. Enquanto acontecia o sorteio da Liga dos Campeões, veio a bomba: a briga entre Papu e Gasperini, e a calma para manter a paz e Gómez, principal personagem para os Bergamaschi, porém não para o Gasp.

Quem pode se aproveitar da situação é a Juve, próxima, iminente adversária, não uma qualquer. A Vecchia Signora, reagiu após o conturbado início de campeonato, com a total dependência por Ronaldo, as ideias em curso de Pirlo, que apesar de imaturas, são interessantes, talvez não muito claras, mas com o tempo podem atingir voos altos.

Longe do topo, mas absolutamente uma grande partida, temos Inter e Napoli. A eliminação da Liga dos Campeões ainda arde nas veias de Conte, que encontrou uma leve reação frente ao Cagliari, na última partida, neste campeonato que se tornou o único objetivo dos Nerazzurri na temporada. Não há desculpas para os Interistas brigarem pelo título, é tudo ou nada.

Certamente, para os Napolitanos, é o pior desafio que poderia vir agora, justamente no momento em que o time precisa de pontos e confiança. Gattuso está dando sua alma e espera algo em troca. Este Napoli está furioso, é voraz e intenso como sempre foi Gennaro. A Continuidade do trabalho que deu resultado na última temporada segue firme e forte é verdade, mas os Azzurri vão precisar manter o bom futebol apresentado para sonhar pelo scudetto, dada a qualidade do plantel e da organização conferida por Gattuso, que está totalmente imerso, a esta altura, em seu próprio caráter extremo, como deveria estar, como os Partenopei precisam.