Roma, analises do momento: Fonseca tem um grande mérito

Esta primeira parte da temporada envia mais sinais de alerta, sobretudo um: o tridente ofensivo funciona, a classe e a experiência proporcionada por Mkhitaryan e Pedro tornam uma Roma que já não ignora os gols de Džeko incisivos.

Fonseca tem um grande mérito por isto: a construção de uma equipe compacta, apoiada numa defesa em que Mancini, Ibanez, Smalling e Kumbulla têm a oportunidade de trocar e recuperar o fôlego.

Intuição inteligente o suficiente para confiar em Kardsorp, que se as lesões o permitirem, está provando possuir as qualidades para jogar em alto nível na Serie A. Além disso, com a contribuição na construção preciosa de Jordan Veretout e com Gonzalo Villar que vem crescendo como armador, com calma, com faróis baixos.

Borja Mayoral tem que ser explorado, aquele a quem Fonseca vê como substituto de Džeko e não um possível parceiro de ataque do Bósnio; afinal, é assim que funciona o tridente, à espera de Zaniolo.

Onze pontos na classificação, que sem a derrota em Verona teria chegado a 14 e, portanto, o segundo lugar junto com o Sassuolo. Antes do intervalo para as seleções, a vitória por 5-0 sobre o Cluj na Liga Europa; embora os compromissos sejam frequentes, este ano a Roma parece ter possibilidades, tanto numéricas como qualitativas, de gerir recursos e energias da melhor forma possível.